Facebook Twitter RSS

Suspeito de falsificar documentos é preso em Londrina após denúncia


Policiais do Gaeco apreenderam carimbos de várias
instituições, máquinas e documentos (Foto: Vanessa
Navarro/RPCTV)
Um homem de 54 anos foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Londrina, no norte do Paraná, nesta segunda-feira (20), por ser suspeito de falsificar documentos. Segundo o Gaeco, a prisão ocorreu após uma denúncia apresentada pela Secretaria Municipal de Saúde, na qual pessoas estariam oferecendo documentos falsos para candidatos do concurso público da prefeitura.

No escritório onde foi efetuada a prisão, no Centro da cidade, policiais encontraram carimbos de várias instituições, como cartórios, escolas e universidades, máquina para fazer cartões, crachás e tintas especiais. “São materiais que dão indícios que ele falsificava vários tipos de documentos”, disse o delegado do Gaeco, Ernandes Alves. Todo o material foi apreendido, assim como uma quantidade de munições encontrada no local. O suspeito foi preso pelo crime de falsificação e por porte ilegal de munição.

De acordo com o delegado, o homem já foi preso e indiciado em 2007 por falsificação. “Ele já vinha praticando esse crime há algum tempo, e podemos dizer até que se especializou nessa área”, afirmou Alves. Entre as falsificações investigadas estão materiais como cartões, crachás, títulos para apresentação em concurso público, diplomas falsos, e até vistos para  entrada nos Estados Unidos, disse o delegado.

O próximo passo da investigação, segundo o delegado do Gaeco, é encontrar quais pessoas utilizavam dessas documentações falsas. “Precisamos descobrir agora quem se beneficiava desse serviço de alguma maneira”, disse.

Secretaria vai verificar títulos apresentados
Segundo o secretário municipal de Saúde, Mohamad El Kadri, o caso foi descoberto após uma denúncia de um candidato ao concurso público realizado pela pasta. “Foi feita uma denúncia formal, e com isso entramos em contato com a promotoria”, explicou.

El Kadri informou que todos os títulos apresentados pelos candidatos vão passar por uma auditoria. “Os que não forem verdadeiros, o candidato será suspenso do concurso, sendo chamado o próximo colocado. Caso a pessoa seja nomeada, ela será exonerada, e o próximo colocado será convocado”, disse o secretário. (Redação: Rodrigo Saviani - G1 PR)

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

  • Facebook
  • Twitter
  • Myspace
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Postado por: Blog Congotícias
www.congoticias.net