Facebook Twitter RSS

Sob risco de epidemia, Cornélio Procópio conta com 200 casos suspeitos de dengue


Fonte: Blog do Odair Matias

O boletim da última semana da Vigilância Sanitária informa que até o momento, Cornélio Procópio conta com 15 casos confirmados, sendo 5 importados de cidades vizinhas e 200 notificações, pessoas com sintomas da doença que aguardam confirmação dos exames.

O índice de infestação verificado pelos agentes de endemias, através das visitas periódicas realizadas em imóveis no município foi considerado alto e preocupante.  De acordo com os dados levantados pela vigilância, 4% dos imóveis conta com a infestação do mosquito.  “Apesar de o índice ser menor que as cidades da região, várias delas já com epidemia confirmada, como Uraí, Racho Alegre, Santa Mariana e Leópolis, o quadro não deixa de ser muito grave”, explicou o Coordenador municipal da Vigilância Sanitária, Eliseu Rodrigues da Rocha.

“Temos que considerar que muitos proprietários de terrenos na cidade continuam desatentos em relação a sujeira e colaborando para a criação do mosquito”, explicou.

Diante do risco de epidemia, a vigilância tomou medidas especiais para conter o avanço da doença, procedendo a aplicação de veneno através de UBV costal, (foto) inicialmente na região de alerta a qual corresponde a um trecho entre a Vila Independência e Vila Severina.

A SESA, (Secretaria Estadual de Saúde) considera quadro de epidemia, quando a cidade apresenta 300 casos confirmados da doença, para cada 100 mil pessoas. Levando em consideração que Cornélio Procópio tem aproximadamente 50 mil habitantes, a situação epidemiológica do município será considerada gravíssima a partir de 150 casos confirmados.

A prevenção é a única arma contra a doença. A melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença.

Dengue clássica


A dengue clássica é a forma mais leve da doença, sendo muitas vezes confundida com a gripe. Tem início súbito e os sintomas podem durar de cinco a sete dias, apresentando sinais como febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, entre outros.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

  • Facebook
  • Twitter
  • Myspace
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Postado por: Blog Congotícias
www.congoticias.net