Facebook Twitter RSS

Deputado federal João Arruda recusa ministério de Temer


Redação: Portal npdiario.com
Deputado João Arruda
(Foto: Arquivo/Congotícias)
“De jeito nenhum” disse parlamentar

O Palácio do Planalto poderia nomear um deputado federal do PMDB do Paraná para o ministério da Transparência para que Rocha Loures, ex-assessor especial do presidente Michel Temer e suplente do ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio tivesse foro privilegiado. Só que Rocha Loures foi preso no sábado, dia três.O deputado federal João Arruda (foto) disse para o npdiario que “jamais aceitaria” o cargo nessas condições. “Não é o momento e, principalmente, não nessas circunstâncias, para proteger alguém acusado de corrupção”.

A hipótese de que o presidente Michel Temer poderia nomear como ministro outro deputado do Paraná passou a ser comentada quando Serraglio, demitido do ministério da Justiça, afirmou não aceitar ser transferido para a pasta da Transparência.

Quando assumiu a Justiça, Serraglio deu lugar – e foro privilegiado – ao suplente Rodrigo Rocha Loures, um dos principais auxiliares de Temer. Ao retornar para a Câmara, Serraglio assumiu a quarta vaga que o PMDB-PR possuía na Casa e, como consequência, Rocha Loures voltou a ser suplente e perdeu o foro privilegiado.

Filmado pela polícia federal saindo de um pizzaria com uma mala que, conforme os invetigadores, conteria R$ 500 mil frutos de propinas pagas pela JBS, Rocha Loures foi afastado do cargo de deputado no último dia 18 e preso no final de semana.

O governo tinha três opções além de João: os deputados Hermes Parcianello (Frangão) e Sérgio Souza.

João Arruda mantém uma posição de independência na Câmara. Apoia ou não conforme o assunto e declarou para a reportagem que não aceitaria “de jeito nenhum” o ministério.

Souza e Parcianello também recusaram.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

  • Facebook
  • Twitter
  • Myspace
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Postado por: Blog Congotícias
www.congoticias.net