Facebook Twitter RSS

Com focos em 4 a cada 100 imóveis, Londrina tem risco de epidemia de dengue


Redação: Luís Fernando Wiltemburg - Portal Bonde
(Com informações da repórter Micaela Orikasa, do Grupo Folha)
(Foto: Divulgação/Fotos Públicas)
Com larvas do Aedes aegypti encontradas em quatro a cada cem casas, Londrina sinaliza situação de risco epidemiológico para as doenças transmitidas pelo mosquito – além da dengue, o Aedes também é transmissor da zika e chikungunya. O resultado do 4º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) indica que em 4,3% dos 8.813 locais pesquisados entre os dias 6 e 11 de novembro tinham a presença de larvas.

O último LIRAa de 2017 foi divulgado na manhã desta quarta-feira (29) pelo secretário da Saúde, Felippe Machado. De acordo com o levantamento, há mais casos de incidência de larvas na zona norte, com 5,2% dos imóveis com focos positivos. Em seguida vêm a região leste (4,73%); o centro (4,51%); sul (4,05%); e oeste (2,59%).

O índice levantado na última pesquisa é bem maior do que o do LIRAa anterior, que constatou focos em 0,5% das casas visitadas. Segundo o secretário de Saúde, o aumento já era esperado, uma vez que a pesquisa realizada entre julho e agosto ocorreu em um período de grande estiagem.

Na comparação com anos anteriores, o LIRAa de outubro/novembro deste ano ficou acima do registrado em 2016 (1,4%), mas abaixo do que ocorreu em 2015 (7,9%) e acima de 2014 (1%), o que indica um ciclo de ocorrências de epidemias.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

  • Facebook
  • Twitter
  • Myspace
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Postado por: Blog Congotícias
www.congoticias.net